Você já pensou em investir seu dinheiro em arte? A maioria das pessoas pensa que se trata de um nicho restrito aos donos de grandes fortunas. Mas não é bem assim. 

No passado apenas pessoas ricas tinham essa possibilidade. Mas agora, este mercado está mais acessível e não é necessário ter uma conta bancária milionária para ganhar dinheiro investindo. 

É que, nos dias atuais, obras de arte físicas ou digitais podem ser tokenizadas por meio da tecnologia blockchain, a mesma que garante a segurança nas operações com criptomoedas. A tokenização possibilita dividir uma determinada obra em frações para serem vendidas aos investidores. 

Sendo assim, uma obra de arte de R$ 1 milhão, por exemplo, pode ser fracionada em 100 tokens de R$ 10 mil cada um ou mesmo em 1 milhão de tokens valendo R$ 1 cada. Dessa forma, é possível ao investidor adquirir apenas uma ou mais partes conforme sua capacidade financeira. 

Abraham Palatnik

Recentemente, a Hurst originou e tokenizou um acervo composto por três obras da série W (W-776W-967 e W/E-1) do artista Abraham Palatnik, pioneiro da arte cinética no mundo. O investimento, disponibilizado em junho, possui prazo esperado de 24 a 36 meses e rentabilidade projetada de 17,36% ao ano.  

Veja que interessante: o acervo custou cerca de R$ 650 mil e os investidores são proprietários das três obras por meio de tokens bastando para isso aplicarem qualquer valor a partir de R$ 10 mil. 

Essa originação representa um marco na história do mercado de obras de arte no Brasil, pois o torna acessível à classe média, o que, ao longo do tempo, aumentará exponencialmente o montante negociado em um setor tão restrito. Sem a tokenização, seria necessário ter o valor total na conta para adquirir as obras por inteiro. 

Arte é reserva de valor

Mas com tantos ativos por aí, por que investir justamente em arte? É preciso entender que arte também é reserva de valor e uma forma de preservar o capital. 

Só que é preciso ter um olhar meticuloso para escolher as obras que realmente podem se valorizar. E isso só acontece se o artista for renomado no mercado. Mas nem todo mundo é especialista no assunto, como correr tanto risco sem muita preocupação. 

É aí que está a importância da originação das obras de Abraham Palatnik feita pela Hurst. A empresa contratou especialistas para analisar as obras, que só foram adquiridas depois de um aval positivo. 

Em outras palavras, o investidor não precisa ter preocupação, pois seu dinheiro estará sendo aplicado em obras autênticas e com potencial de valorização respaldado pelo mercado. 

Baixa correlatividade

Outro aspecto positivo a ser considerado é a baixa correlatividade com o mercado financeiro. Estudo do Banco City mostra que a correlação com produtos de renda fixa é de 0,03% e com o ambiente da Bolsa de valores de apenas 0,25%. 

Em outras palavras, se tudo der errado no Brasil, quem investiu em obras de arte vai manter seu capital protegido porque elas podem ser transferidas para Nova Iorque ou qualquer outro lugar e serem leiloadas, o que reduz consideravelmente o risco. 

Se você perdeu a oportunidade de investir nas obras da série W de Abraham Palatnik, não se preocupe. Em breve, novas obras serão originadas e disponibilizadas ao mercado. 

Se você está interessado em saber mais sobre o assunto, entre em contato com a Hurst. Você vai conhecer um novo mundo, cheio de oportunidades.