Os ativos reais, como o próprio nome diz, vêm da economia real, que está diretamente ligada às capacidades produtivas da sociedade. Um imóvel residencial, comercial ou industrial, uma obra musical, uma escultura, uma coleção de moedas antigas, recebíveis. Todos são exemplos de ativos reais.

A produção e a comercialização desses ativos envolvem pessoas de diversas áreas, empresários, trabalhadores, enfim, é a riqueza de um país em sua forma palpável.

Por exemplo, quando você investe em royalties musicais você está contribuindo com a remuneração do artista e com a valorização de sua obra propriamente dita. E ainda ganha com isso. O mesmo ocorre quando se investe em recebíveis, pois você ajuda o credor a receber com antecedência o valor a que ele tem direito e faz com que a roda da economia gire de forma mais saudável.

Negociações fora do mercado tradicional

Os ativos reais são chamados de alternativos porque são negociados fora do mercado tradicional, formado por ações de empresas que são negociadas na Bolsa de Valores ou por produtos de renda fixa oferecidos por bancos e corretoras.

E por não estarem atrelados ao mercado financeiro tradicional, os ativos reais são menos voláteis, com risco bem mais baixo e alto potencial de retorno.

Trata-se de um tipo de ativo ainda desconhecido da maioria dos investidores porque até há pouco tempo, era necessário ter muito dinheiro para investir neles. Somente os investidores qualificados (com patrimônio acima de R$ 1 milhão) é que podiam.

Mudanças incluíram investidores de pequeno porte

Mas o setor passou por mudanças e hoje é possível à maioria dos brasileiros investir em ativos alternativos. E diferentemente dos ativos comercializados na Bolsa de Valores, os alternativos, justamente por serem uma classe diversa, não tem um formato padrão de negociação. Alguns investidores preferem aportar diretamente nos projetos e empresas. Outros o fazem por meio de fundos de investimento.

Com a democratização do setor de investimentos, seja de ativos reais ou financeiros, surgiram plataformas como a Hurst, a primeira do Brasil a oferecer oportunidades de investimentos em ativos alternativos. A Hurst conta com diferentes tipos de ativos reais que podem ajudar você a diversificar suas aplicações e maximizar seus ganhos. Faça uma consulta e conheça mais sobre o assunto.