Nas últimas décadas, a demanda global por água tem aumentado a um ritmo de 1% ao ano, de acordo com o Relatório de Desenvolvimento Mundial da Água de 2018 das Nações Unidas, à medida que o crescimento da população urbana sobrecarrega os recursos. Ao mesmo tempo, a mudança climática altera a distribuição do abastecimento de água, interrompendo os padrões de precipitação.

Níveis mais altos de estresse hídrico indicam maior competição entre os usuários. Isso aumenta os custos de abastecimento e força medidas de conservação. Outros fatores por trás desse estresse incluem regras ambientais frouxas e poluição, que podem reduzir a qualidade da água e limitar seu uso potencial.

Nesta décima quarta Carta de Grandes Gestores a BlackRock, uma das maiores gestoras do mundo, falará sobre os impactos causados devido ao estresse hídrico, mostrando também as implicações em demais setores da economia.

O estresse hídrico tem implicações financeiras

Empresas com instalações de produção em regiões estressadas podem enfrentar maiores custos operacionais e prêmios de seguro.

Eles provavelmente precisarão gastar mais em medidas de eficiência, reciclagem e conservação para atender a regulamentações rigorosas que podem ser ainda mais restritivas. No mercado imobiliário, as preferências dos inquilinos tendem a mudar para edifícios verdes.

Implicações em outras classes de ativos

O estresse hídrico tem implicações abrangentes em todas as classes de ativos.Mostramos como as indústrias de agricultura, energia elétrica e alimentos e bebidas podem estar em maior risco.

A qualidade de crédito de alguns países, estados e municípios que enfrentam escassez também pode ficar ameaçada, pois eles enfrentam custos adicionais para fortalecer sua infraestrutura de água. Isso vem além de outros crescentes riscos climáticos físicos , como a exposição a inundações e outros eventos climáticos extremos.

Alguém pode sair ganhando?

Acreditamos que as empresas resilientes ao estresse hídrico e outros riscos relacionados ao clima podem ganhar um prêmio na transição para um mundo mais sustentável.

Uma melhor compreensão e quantificação dos riscos pode ajudar os investidores a mitigar exposições e potencialmente explorar qualquer erro de precificação. Dados e insights relacionados são ferramentas valiosas para os investidores se envolverem com empresas e emissores em seus esforços relacionados à sustentabilidade .

Impactos causados pela escassez de água

Os impactos podem ser terríveis no setor agrícola, com uma ligação direta entre a disponibilidade de água para irrigação e o rendimento das safras. A agricultura irrigada é, em média, pelo menos duas vezes mais produtiva por unidade de terra do que a agricultura de sequeiro, de acordo com o Banco Mundial

A falta de disponibilidade de água para resfriamento de usinas termelétricas representa um sério risco para as concessionárias de energia elétrica. Cerca de 27% da produção de eletricidade dos EUA seria severamente afetada por aumentos constantes no estresse hídrico até 2030, de acordo com um estudo de 2017 na Nature .

Cidades e municípios em regiões com escassez de água também podem enfrentar custos de investimento na reciclagem de águas residuais e no fortalecimento de sua infraestrutura. Isso tem implicações para a dívida de governos e municípios.

A Moody’s, por exemplo, disse em um relatório no início de 2020 que os riscos relacionados ao clima representam riscos de longo prazo para a qualidade de crédito da região metropolitana de Sydney, na Austrália. Ele identificou o estresse hídrico como o maior desafio.

Desafios causados pela escassez de água

Os desafios que planejamos enfrentar incluem a aplicação de nossa análise sobre estresse hídrico para empresas com cadeias de abastecimento globais. Isso exigiria um conjunto de dados que identificasse a localização de todas as instalações operacionais de uma empresa para que a exposição total das empresas – e seus títulos – pudesse ser determinada.

Nossa compreensão da conexão entre o risco climático e o risco financeiro está evoluindo – e mais pesquisas são necessárias para quantificar os efeitos com maior confiança. Com certeza, o aumento do estresse hídrico não é uma rua de mão única. Possivelmente, ele pode ser mitigado por meio de avanços, como melhor irrigação e tratamento de águas residuais, e avanços na eficiência e na dessalinização. Ainda assim, temos grande convicção de que o estresse hídrico é um componente-chave dos riscos climáticos que devem crescer cada vez mais financeiramente com o tempo. Isso sugere que o momento de integrá-los aos processos de investimento é agora.