A décima primeira carta de grandes gestores fala sobre a reversão do Bear Market causada durante a crise do covid-19. O texto se baseia em um dos relatórios da Allianz Global Investor, que tem sob sua gestão mais de 510 bilhões de euros. Leia a seguir as considerações feitas em “Mid-year outlook: markets could rise more despite the recession”.

Os mercados financeiros reagiram ao coronavírus com uma queda sem precedentes no primeiro trimestre e depois se viraram rapidamente. Esse apetite por riscos diante da recessão mais profunda desde a década de 1930 é bastante incomum. No entanto, os mercados estão sendo movidos pelo otimismo sobre uma possível melhoria econômica para o futuro. Portanto, não podemos excluir um aumento adicional nos preços das ações.

 

Perspectivas da Allianz para o restante do ano

A longo prazo, preferimos ações em vez de títulos de baixo rendimento para aqueles investidores que estão em busca de retornos. Mesmo os que buscam um “porto seguro” tenham impulsionado as avaliações de ações nos EUA, elas ainda são mais moderadas na Europa e na Ásia. Os setores de crescimento – particularmente o de tecnologia – podem se beneficiar tanto do fato de que o crescimento é escasso nesta atual recessão quanto das maiores demandas colocadas no mundo digital nos tempos do Covid-19.

Durante o primeiro trimestre deste ano, o coronavírus fez com que os mercados financeiros caíssem mais rapidamente do que a média de todos os 11 mercados em baixa desde 1946. Mas, apesar dos fundamentos econômicos inquietantes relacionados à pandemia, este Bear Market transformou-se subitamente.

Os investidores pareciam mais tranquilizados, ainda que as notícias de um possível pico de infecções por coronavírus e mortes relacionadas a doença os balançassem, a perspectiva de vacinas e terapias e as quantidades maciças de estímulos de política fiscal e monetária, poderiam ajudar.

 

Bear Market

O Bear Market do coronavírus chegou de maneira muito forte e conseguiu se recuperar rapidamente. A perspectiva de vacinas, terapias e por quantidades maciças de estímulos de política fiscal e monetária ajudaram nesse processo.

Até agora, o mercado tem se recuperado mais rápido do que a média das vezes em que teve Bear Market.

(Mercado em baixa atual versus média de todos os mercados em baixa de 1946-2009)

Fonte: Bloomberg em 22 de maio de 2020. Mercados de urso definidos como períodos em que o S&P Index 500 cai em pelo menos 20%.

 

Essa recuperação do mercado ocorreu mesmo com a deterioração do quadro econômico, destacando a desconexão entre o desempenho do mercado e as perspectivas econômicas mais amplas.

A questão é: esse salto vai durar? Embora essa recuperação nos preços das ações seja frágil, acreditamos que ela possa continuar enquanto os investidores adotarem uma melhor perspectiva de crescimento por trás de um estímulo monetário e fiscal maciço, e continuarão vendo evidências de que as taxas de infecção já ultrapassaram o pico.

Mas a recuperação das ações seria muito mais sólida se visássemos melhorias em pelo menos algumas das quatro áreas a seguir.

 

 

O que os investidores devem fazer a seguir?

Até agora, os mercados financeiros demonstraram uma surpreendente confiança de que a economia se recuperaria da recessão causada pelo vírus. Com base em todas as evidências que apresentamos, os investidores devem ser cautelosos ao mesmo tempo em que estão prontos para aproveitar as oportunidades.

Esperamos que o rendimento dos títulos permaneça baixo, dado o tremendo apoio dos bancos centrais até agora e seu compromisso de fazer mais, se necessário. Essa é a uma continuação das políticas implementadas há uma década (incluindo baixas taxas de juros e aumento das regulamentações) para ajudar os países.

O apoio monetário e fiscal pode gerar inflação mais alta no médio e no longo prazo, mas não esperamos que a inflação seja um fator importante no preço dos títulos nominais. Ainda assim, estamos encontrando valor em alguns títulos atrelados à inflação.

 

Concluindo

Nosso pensamento circula entre neutros e positivos para o setor de crédito em geral. Embora as avaliações não sejam excessivamente atraentes e o endividamento global esteja em níveis recordes, os bancos centrais são compradores insensíveis aos preços e continuarão a intervir nos títulos. Isso mostra que provavelmente os Bancos Centrais fornecerão um apoio substancial para esse setor.

 

Para ler o relatório “Mid-year outlook: markets could rise more despite the recession” na íntegra, acesse:

https://www.allianzgi.com/en/insights/outlook-and-commentary/mid-year-outlook-2020