O tema investimento ainda assusta muitas pessoas.

Algumas pensam que só pode investir quem possui muito dinheiro, outras acreditam que é tarde para começar e ainda existem aquelas que têm medo de alocar seus recursos em qualquer tipo de aplicação.

Investir tem se tornado algo cada vez mais importante para a manutenção do estilo de vida no futuro, ou mesmo para planejar uma viagem para daqui a um ano, adquirir um imóvel, ou fazer um intercâmbio, por exemplo. Mas, como investir seu dinheiro em 2021, sem se preocupar com a crise?

Bom, infelizmente, a crise está batendo à nossa porta e ainda deve permanecer por algum tempo em razão da pandemia da Covid-19 que contaminou o mundo e levou as economias dos países para um momento muito crítico.

Essa situação deve perdurar ainda pelo menos este ano, independente da chegada da vacina para a doença. Portanto, quanto mais cedo começar a pensar no seu plano de investimento, melhor será para você.

Lógico, em meio a tantas incertezas econômicas e políticas, você deve estar se perguntando como devo  investir em 2021, sem me preocupar com a crise? A resposta é simples: começar.

Isso mesmo, a crise está aí e você não pode alterar isso, mas pode mudar sua atitude e traçar um planejamento para o amanhã.

Uma das primeiras coisas que se deve ter em mente ao pensar em investir é definir um percentual da sua renda para ser aplicado todo mês. Feito isso, é necessário saber o quanto de risco você está disposto a tomar, ou seja, o seu perfil de investidor. Após, o próximo passo é pensar na diversificação dos seus investimentos.

Para se ter uma ideia, a poupança, que continua sendo a opção de muitos brasileiros, rendeu, em 2020, 1,4% ao ano ou 0,12% ao mês. Pelas regras, o rendimento da poupança equivale a 70% da taxa Selic, que atualmente está em 2% ao ano. Essa remuneração anual ficou bem abaixo da inflação no período, que foi de 4,52%. Ou seja, descontando o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) a poupança acumulou perda de 2,30% em 2020. Isso significa que o valor aplicado na poupança ao longo do ano passado sofreu uma perda real de 2,30%. Em outras palavras, você não consegue comprar a mesma coisa que compraria no início de 2020.

Independente se você ainda quer continuar colocando seus recursos na poupança, é necessário começar a pensar em obter rendimentos reais. Para isso, é preciso estar aberto para conhecer novas opções e experimentar. Isso mesmo, provar novas oportunidades, mas com responsabilidade. No mercado há uma infinidade de opções em renda fixa, variável e investimentos alternativos (CCB, Royalties Musicais, Precatório, Crowdfunding Imobiliário), mas deve-se ficar atento a todas as possibilidades e procurar fontes seguras de informação antes de alocar seus recursos.

Lembre-se que não existem super retornos, se alguém te oferecer algo com um retorno muito acima de tudo que existe no mercado, acenda a luz amarela e corra, porque com certeza é golpe.