A Forbes divulgou no final do ano passado uma lista com os maiores investidores do Brasil. Juntos, os seis maiores acumulam uma fortuna de R$ 300 bilhões. São eles: André Esteves, Alexandre Behring, Carlos Alberto Sicupira, Marcel Herrmann Telles, Jorge Paulo Lehmann e Joseph Safra (falecido em 10 de dezembro de 2020).

A Forbes também divulgou a lista Midas, feita em parceria com a TrueBridge Capital Partners, onde reconhece os 100 melhores capitalistas do mundo. A lista é liderada por: Neil Shen, Andrew Baccia e Roelof Botha.

Diversificadores

Investir uma fortuna e obter rentabilidade sempre não é uma tarefa fácil. Algo que todos os grandes investidores têm em comum é a busca pela diversificação. Todos têm carteiras mais equilibradas em que ganhos compensam perdas. Isso só é possível quando os portfólios são compostos por ativos chamados descorrelacionados, ou seja, que não tem correlação entre si.  Aqui no blog já explicamos como a correlação impacta nos investimentos.

Veja mais em: https://blog.hurst.capital/blog/a-importancia-da-correlacao-de-ativos-na-estrategia-de-diversificacao

Quem são os maiores investidores?

André Esteves é CEO e chairman do BTG Pactual, um dos maiores bancos de investimentos da América Latina. Estevez estudou Ciência da Computação e Matemática na Universidade Federal do Rio de Janeiro e, aos 21 anos, começou a trabalhar como analista de sistemas no Banco Pactual, onde se tornou sócio após quatro anos. Seu patrimônio é estimado em R$ 24 bilhões e na lista de mais ricos da Forbes ele ocupa a sétima posição.

Alexandre Behring formou-se em Engenharia Eletrônica na PUC do Rio de Janeiro e começou a sua carreira profissional no banco Citigroup, trabalhando com redes internas de informação. Virou sócio da Modus OSI Technologies, empresa que foi vendida cinco anos depois, quando resolveu estudar MBA na Universidade de Harvard, onde conheceu os empresários Jorge Paulo Lemann, Marcel Telles e Beto Sicupira, com quem trabalha até hoje. O executivo também é sócio da G3 e presidente da Kraft-Heinz, uma das maiores companhias de alimentos do mundo. Na sexta posição no ranking de mais ricos da Forbes, o empresário possui uma pequena fortuna de R$ 34,32 bilhões.

Carlos Alberto Sicupira possui um patrimônio de R$ 42 bilhões. É um dos maiores investidores do país e domina a quinta posição do ranking de bilionários. Junto com Jorge Paulo Lemann e Marcel Telles criou a 3G Capital. Seu primeiro investimento foi o IPO das Lojas Americanas, quando resolveu investir o dinheiro do Garantia, instituição na qual era sócio. O objetivo era transformar a empresa em algo lucrativo. Passado seis meses ele vendeu a posição e passou a ser conhecido como “o homem dos novos negócios”.

 Marcel Herrmann Telles figura na quarta posição do ranking da Forbes com um patrimônio de R$ 54,08 bilhões. Depois de atuar por muitos anos no mercado financeiro, em 1989 assumiu a direção da cervejaria Brahma, colocou a casa em ordem, com forte redução de custos e, em 1999 comprou a Antarctica, criando, na época, a maior cervejaria das Américas, junto com os sócios Jorge Paulo Lehmann e Carlos Alberto Sicupira. A fusão, em 2004, com a cervejaria Belga Interbrew e a compra da norte-americana Anheuser-Busch, em 2008, fez surgir a Anheuser-Busch InBev, conhecida mundialmente como AB InBev, a maior fabricante de cervejas do mundo.

Jorge Paulo Lehmann liderou a lista dos mais ricos por seis anos seguidos, desde 2013, e no ano passado perdeu a liderança para o banqueiro Joseph Safra. Além de ser um dos proprietários da AB Inbev, Lemann também é sócio da G3 Capital, empresa de private equity, que controla redes como o Burger King e Tim Hortons. Seu patrimônio é da ordem de R$ 91 bilhões. O executivo é formado em economia pela Harvard e começou sua carreira profissional no banco Credit Suisse, na década de 1960.

Joseph Safra, além de ser um grande investidor, é considerado o homem mais rico do País e o banqueiro mais rico do mundo, com patrimônio estimado em R$ 119,08 bilhões, segundo a Forbes. Libanês naturalizado brasileiro, Safra herdou, em 1955, o banco fundado pelo pai. Hoje é dono do banco Safra (Brasil), do J. Safra Sarasin (Suíça) e do Safra National Bank (EUA).  Segundo a Forbes, além de investimentos bilionários, ele também é dono, ao lado de José Cutrale, da Chiquita Brands, maior produtora de bananas do mundo.

Maiores investidores do mundo

Neil Shen, da Sequoia China, é um ex-proprietário e patrocinador de empresas líderes como Alibaba e ByteDance, e proprietário do TikTok. Número um pelo terceiro ano consecutivo, Shen é um dos 22 investidores chineses na lista de 2020, um novo recorde.

Andrew Baccia ingressou na Accel em 2007 e se concentra em empresas de serviços móveis e da web voltadas para o consumidor. Ele foi uma dos primeiros investidores da Slack e continua no conselho de diretores da companhia. O executivo também faz parte dos conselhos da lynda.com (adquirido pelo LinkedIn), Squarespace, Vox Media, Cornershop (adquirido pelo Uber), MyFitnessPal (adquirido pela Under Armour), Hotel Tonight (adquirido pelo Airbnb), Anchor.fm (adquirida pelo Spotify), Gametime e UserTesting. 

Roelof Botha é sócio da Sequoia Capital, nos Estados Unidos. O executivo fez investimentos na 23andMe, Pendulum Therapeutics e BridgeBio, que abriu capital em 2019 e terminou como a maior IPO de biotecnologia do ano. Suas proezas em outras áreas também ajudam sua ascensão: a fabricante de software de desenvolvimento de jogos Unity Technologies e a startup de scooters Bird dobraram suas avaliações de nível de unicórnio no mercado privado. Botha também teve participações na Eventbrite, MongoDB e Square,  empresa de pagamentos móveis da qual ele permanece no conselho, nove anos após o investimento e cinco anos após seu IPO.