O que é diversificar uma carteira de investimentos?

Você já deve estar cansado de ouvir falar sobre a importância de diversificar sua carteira de investimentos. Você sabe o que é diversificar e para que serve?

Segundo o dicionário, diversificar nada mais é do que: variar ou fazer variar, apresentar diferenças, variedades.

Pois bem, no mercado financeiro diversificar a carteira tem o mesmo significado: variar, ou seja, distribuir seu dinheiro em vários tipos de ativos. Atualmente, existem muitas opções de investimentos que vão de renda fixa, variável, alternativos, ativos reais, moedas, enfim, a lista é extensa.

Mas, para saber como começar a diversificar seus recursos, a primeira coisa que você precisa ter em mente é quais são os seus objetivos e se eles são de curto, médio ou longo prazo.

Conhecendo os objetivos e os prazos

Saber os objetivos e os prazos é importante para definir sua estratégia de investimentos. Por exemplo, se a meta é comprar um carro no final do ano, é curto prazo e, neste caso, é necessário buscar ativos que possam ser resgatados dentro deste prazo, sem que sejam impactados pela cobrança de imposto de renda. Isso porque, em alguns casos, a incidência do IR sobre um investimento pode engolir o retorno financeiro se esse for resgatado antes do prazo final.

Por isso, é muito importante entender o que você deseja e procurar opções de investimentos de acordo com suas necessidades. O ideal é diversificar os ativos e os prazos para que você possa alcançar suas metas e também ter flexibilidade, caso aconteça alguma emergência e seja necessário usar parte dos recursos investidos.

Por que diversificar?

Com a diversificação você consegue maximizar seu retorno financeiro e reduzir os riscos ao longo do tempo. Ao escolher vários tipos de investimentos você também escolhe vários tipos de risco e retorno, já que cada ativo tem sua especificidade.

Os ativos financeiros, geralmente, variam conforme o ritmo da economia de um país. Alguns são mais atrelados aos fatores macroeconômicos, enquanto outros oscilam por fatores microeconômicos e alguns acompanham apenas o movimento do setor.

Com o cenário econômico incerto para esse ano, imprevistos ou boas notícias podem levar a variações abruptas de algum tipo de ativo, como uma ação negociada na Bolsa de Valores. Se sua ação tem uma forte variação para baixo, isso leva a um desequilíbrio financeiro e pode até desestimular que você continue aplicando seus recursos, já que a sua perda pode ser grande.

No entanto, se você tem uma carteira diversificada esse impacto se dissolve entre os outros ganhos e fica mais fácil aceitar aquela perda momentânea. Assim como uma carteira mais de médio e longo prazo acomoda melhor fortes impactos para cima ou para baixo.

Para quem está buscando investimentos que não tenham correlação com a Bolsa de Valores e mercado tradicional, os ativos reais podem ser uma boa opção. Converse com os nossos especialistas para saber mais sobre ativos reais.