Estamos nos aproximando do fim de 2020 – o ano da pandemia, da maior crise econômica desde 1929, do isolamento social e do “novo normal”. Há menos de 50 dias do réveillon uma pergunta começa a permear o imaginário do investidor: quais os melhores investimentos para 2021? 

Essa pergunta já é praxe de todo investidor que busca novos objetivos no ano que irá se iniciar, seja aumentar sua rentabilidade, construir um portfólio mais resiliente ou investir pensando em uma renda extra. 

Mas falando especificamente sobre o próximo ano, é preciso estar ainda mais atento e com seus objetivos e perfil muito mais claros para conseguir escolher seus investimentos para 2021 de forma segura e que de fato irá lhe render bons frutos. 

O que esperar de 2021? 

Por isso, antes de tudo, é necessário analisar quais são as perspectivas do mercado para o próximo ano.  

E não é segredo para ninguém que tudo, até mesmo a escolha dos seus investimentos para 2021, vai depender da desaceleração da pandemia. 

A perspectiva do desenvolvimento de uma vacina eficaz contra a Covid-19 e sua distribuição à população mundial ainda no primeiro semestre de 2021 trazem uma certa esperança não só quando falamos de saúde pública, mas também para o mercado. 

Afinal, chegamos a essa crise justamente por conta da pandemia, que afetou de maneira agressiva diversos setores da economia mundo a fora. 

As chances de sucesso são realmente altas, mas não podemos descartar o cenário contrário: uma demora ainda maior para a aprovação da vacina e até mesmo uma segunda onda da doença, que já tem atingido alguns países no exterior e causado novas quedas na Bolsa. 

Além disso, há muitos outros fatores políticos e sociais que interferem diretamente na economia mundial, e que ainda não possuem exatamente uma forma de serem driblados. 

A instabilidade política do Brasil, as eleições estadunidenses e seu desenrolar, os incêndios no Pantanal e na Amazônia são só alguns exemplos que podem afetar os seus investimentos para 2021. 

Falando de Selic, o Boletim Focus divulgado pelo Banco Central semanalmente já tem apontado há algumas semanas que a taxa básica de juros brasileira pode voltar a subir em 2021, passando de 2% para 2,75% ao ano. 

Mas até que ponto essa é uma boa notícia para quem busca investimentos para 2021?  

Apesar da perspectiva esperançosa, falando em rentabilidade, o aumento é pouquíssimo expressivo, mantendo os investimentos de renda fixa dentre as opções menos rentáveis do mercado. 

Afinal, quais os melhores investimentos para 2021? 

Com todas essas variáveis em mente, é possível observar que as perspectivas do mercado financeiro para 2021 ainda são bastante incertas.  

Em momentos como esse o ideal é sempre respirar fundo e não tomar atitudes precipitadas.  

Já falamos algumas vezes sobre como lidar com seus investimentos na crise, e mesmo que o pior aparentemente já tenha ficado para trás, o mercado permanece instável e, portanto, todo cuidado é pouco. 

Dessa forma, ao pensar nos seus investimentos para 2021, é de extrema importância que todos esses fatores sejam analisados. 

Se você já possui uma certa alocação em renda variável e fixa em sua carteira, não tome decisões no calor do momento: sua estratégia deve levar em consideração todos os possíveis cenários e principalmente o longo prazo. 

O ideal é que você busque investimentos para 2021 que possuam uma maior segurança e não coloquem seu portfólio em risco por conta de altas volatilidades – que, é fato, ainda estarão presentes no próximo ano. 

Não é o momento de se desfazer desse ou daquele ativo, e sim, de complementar sua carteira com investimentos que possuam potencial de equilibrar perdas e agregar mais segurança. 

Por que incluir os ativos reais nos seus investimentos para 2021? 

Nesse sentido, a melhor aposta é considerar a inclusão de um ativo descorrelacionado com a Bolsa de Valores – e que, assim, não sofra com a volatilidade – e que não esteja atrelado à taxa básica de juros brasileira. 

Unindo esses dois aspectos é possível ganhar em proteção e também em rentabilidade. 

E, atualmente, os ativos reais representam uma excelente opção nesse sentido. 

Por se tratar de um investimento ligado à economia real, seus produtos não são negociados no mercado financeiro e de capitais: você realmente não vai encontrar um ativo real no seu banco ou corretora. 

Esse é o principal motivo pelo qual nenhuma das possíveis mudanças na economia mundial em 2021 podem afetar esses ativos. 

Em 2020, enquanto o investidor tradicional se desesperava vendo seu dinheiro escorrer com o avanço da pandemia e sua rentabilidade sumir com as quedas históricas da Selic, aquele que já havia incluído os ativos reais em seu portfólio dormia tranquilo. 

Mas tudo isso já passou, muita coisa já aconteceu, e sendo esse o momento de buscar por investimentos para 2021, nossa dica hoje é para que você considere investir em ativos reais e construa um portfólio resiliente para enfrentar o que vier pela frente no próximo ano. 

Privacy Preference Center