Se por um lado a pandemia do coronavírus obrigou milhões de brasileiros a ficarem trancados em suas casas, por outro reacendeu a vontade de conquistar a casa própria. O juro baixo e as linhas de crédito criadas para incentivar a compra do imóvel levaram o setor a registrar recorde em 2020, mesmo com o cenário macroeconômico adverso.

Segundo dados da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), o financiamento imobiliário em 2020 apresentou expansão de 32%, o melhor resultado desde 2000, quando teve início a série histórica. Ainda segundo a entidade, o financiamento da casa própria movimentou R$ 177 bilhões no ano passado. Desse montante, R$ 124 bilhões foram liberados via caderneta de poupança para o crédito imobiliário e R$ 53 bilhões vieram do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).

Futuro promissor

Se 2020 foi bom, 2021 promete ser ainda melhor. Pesquisa realizada pela FipeZap mostra que 47% dos entrevistados pretendem comprar um imóvel nos próximos três meses e, desse total, 86% buscam um imóvel para morar e 14% vêem o imóvel como uma opção de investimentos.

Outro levantamento, este feito pela Associação Brasileira das Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc) com 38 das maiores empresas do setor, mostra que 97% dos empresários pretendem lançar um novo empreendimento nos próximos 12 meses.

Juro favorável para ir às compras

Nem mesmo a perspectiva de elevação da taxa básica, atualmente em 2% ao ano, preocupa o setor. O boletim Focus divulgado em 17/02 mostra que os analistas elevaram a projeção da taxa básica para 3,75% no final do ano. Esse porcentual ainda é considerado satisfatório para quem pretende realizar o sonho da casa própria.

Aumentando meus rendimentos

Por outro lado, esse otimismo com o setor pode ser uma boa oportunidade de investimentos, principalmente, para quem quer sair com segurança das opções tradicionais de mercado. Você já deve ter ouvido falar em Fundos Imobiliários, onde um grupo de investidores se reúne para aportar recursos em um conjunto de empreendimentos comerciais, na maioria das vezes.

Agora, o que talvez você ainda não conheça é o crowfunding imobiliário, uma modalidade onde o investidor coloca seu dinheiro em um único empreendimento. Neste caso, um grupo se reúne com o objetivo de captar determinado valor e cada um faz um pequeno aporte até atingir a meta desejada.

Os investidores recebem o retorno a partir do valor geral de vendas, ou seja, a rentabilidade depende apenas do sucesso do empreendimento, bem diferente dos fundos, onde o risco está ligado à capacidade de administração do gestor.  

Se você quer saber mais sobre esse mercado em franca expansão, entre em contato com um dos nossos especialistas (clique aqui). A Hurst pode oferecer boas alternativas com rentabilidade e muita segurança.