Estamos começando hoje uma série no nosso blog e nas nossas redes sociais em que contamos as histórias dos dias em que pagamos nossas operações. Abrimos o capô da empresa, contamos todos os detalhes e muitas vezes os percalços do mundo do investimento em ativo real. 

Sendo a transparência total um dos pilares do nosso trabalho, queremos compartilhar os resultados das nossas operações. Toda semana abriremos espaço para o Payday, onde explicaremos como funcionou o processo de pagamento dos nossos ativos, além de uma breve história sobre cada operação. Espero que gostem! 

Para começar, vamos falar dprimeira operação de ativos empresariais originada pela Hurst: a antecipação de recebíveis da Usina Centroalcool, que teve a captação total de R$300 mil concluída em 26 de junho de 2019. 

Como já exemplificamos em alguns artigos aqui no blog, investir em ativos ligados à economia real traz retornos não só para o investidor, como também para a sociedade como um todo. Nesse caso, a usina buscou o apoio da Hurst para levantamento de recursos que os ajudassem a dar continuidade e expandir as atividades da empresa. 

Logo no início do estudo e investigação da operação, estiveram pessoalmente na usina os sócios Arthur Farache, CEO da Hurst Capital, e Luis Coutinho, executivo responsável pela área de ativos empresariais. Na ocasião, eles se reuniram com a diretoria da Usina e conheceram um pouco mais sobre o negócio e os planos da empresa. 

Após a reuniãoforam convidados a participar de uma celebração ecumênica que marca o início da moagem da cana e abertura da safra da destilação.  

Ainda que fosse uma cerimônia privada para os funcionários da usina, o convite foi uma clara demonstração de que, mais do que negócios, ali estavam pessoas que queriam ajudar o empreendimento a prosperar.  

Mas essa foi somente uma das visitas. Como parte importante do acompanhamento da operação, mais uma visita foi realizada em 24 de julho de 2019, onde Luis Coutinho pôde verificar de perto a produção do Etanol e se certificar de que os compromissos seriam cumpridos de acordo com o cronograma estabelecido. 

O cronograma previa o repasse do investimento em três parcelas, contadas a partir do 45º dia, e então, de 10 em 10 dias, completando o prazo total de 65 dias, com rentabilidade estimada em 25% ao ano. 

primeiro repasse estava programado para o di09 de agosto, uma sexta-feira, e preparamos todas as planilhas para o repasse aos investidores, para que recebessem os valores naquele mesmo dia. 

Como a primeira vez em muitas coisas da vida, estávamos, ao mesmo tempo, ansiosos e confiantes de que o repasse ocorreria.
pagamento aconteceu no dia previsto e, prontamente, o dinheiro foi repassado aos investidores! 

E assim aconteceu da mesma maneira nos pagamentos do dia 19 e do dia 29 de agosto quando finalizamos a operação. 

Em um outro artigo, explicamos que os ativos reais não se enquadram na classificação da renda fixa por trabalharmos com uma rentabilidade estimada. Isso quer dizer que a porcentagem pode ser maior ou menor, dependendo de alguns fatores, que sempre são devidamente documentados em nossos cenários na descrição das operações. 

No caso da Usina Centroalcool, o retorno de 25,39% ao ano foi atingido dentro do prazo de 65 dias da operação, o que na época representava 323,25% a mais que os produtos de renda fixa atrelados à Selic pagavam. 

No dia do último repasse, após o envio dos valores aos investidores, enviamos uma mensagem apresentando o resultado positivo e, principalmente, mostrando aos investidores que o objetivo do investimento foi atingido!  

Os investidores, nas mensagens recebidas, expressaram a satisfação em ter o objetivo cumprido pela Hurst. 

Muitos deles estavam tendo a primeira experiência investindo em ativos reais, e com o sucesso dessa operação, acabaram por se interessar mais pelos nossos produtos e se tornaram investidores assíduos.