O payday de hoje é sobre nosso repasse mais recente, que aconteceu no último dia 31 de julho, referente à terceira parcela da operação Recebíveis de Serviços de Arquitetura, após um breve período de atraso ocasionado pela pandemia Covid-19. 

O relato é do executivo responsável pela área de Ativos Empresariais na Hurst, Luis Coutinho. 

“A operação ainda está em andamento, e entendemos que os atrasos apresentados são temporários, devido à situação econômica vigente. Continuamos confiantes nas operações que originamos e na capacidade de a classe de Ativos Reais ser uma das mais resilientes do mercado”. 

O contato entre a empresa e a Hurst sempre foi constante com o objetivo de sinalizar qualquer tipo de intercorrência com relação aos pagamentos. 

O pagamento em questão estava programado para acontecer no dia 25 de julho, e no dia anterior a empresa informou que faria o repasse parcial, tendo em vista dificuldades em receber valores retidos em uma empresa de meios de pagamento.  

No dia 31, como acordado, a empresa repagou os valores, somando R$ 12.000,00 repassados imediatamente aos investidores. 

“A transparência que rege as relações com os nossos investidores sempre nos permitiu que deixássemos evidentes os riscos de operações empresariais. Operar com crédito para pequena empresa é saber que atrasos acontecem no dia a dia das empresas, assim como altas e quedas com ações da Bolsa”. 

Assim sendo, a comunicação aos investidores foi direta e transparente, com a informação de que o restante desta parcela já possuía uma previsão de repasse futuro.