Não é por acaso que reforçamos sempre que os nossos investimentos são uma opção de diversificação que pode proteger portfólios até mesmo em momentos de crise. 

Nesta terça-feira (26), os investidores que participaram de uma das nossas primeiras rodadas de precatório estadual de São Paulo em fevereiro de 2019, tiveram uma excelente notícia: o título foi pago! 

Mesmo com todoos boatos e algumas tentativas frustradas para que os governos se isentassem do pagamento dessas dívidas durante a pandemia, foi decidido que os precatórios continuariam sendo pagos e esse foi muito especial para toda a equipe. 

Hoje o nosso CFO Daniel Motta, que acompanha os pagamentos de todas as nossas operações, vai contar como foi o processo de recebimento e repasse dos valores para nossos investidores, e como a notícia foi recebida por eles. 

Recebimento de precatório é uma coisa normal na nossa operação, mas verificar que o Estado de São Paulo – apesar dos percalços da crise ocasionada pelo COVID-19 – vem cumprindo o pagamento dos acordos, é realmente satisfatório e especialmente cheio de propósito ao dar liquidez para pessoas que não podem esperar o recebimento e um retorno acima da renda fixa para investidores, relatou.

O pagamento dessa operação em específico, referente a um precatório do Estado de São Paulo e que faz parte de uma operação privada realizada em fevereiro de 2019 somente para sócios e familiares da Hurst, teve rentabilidade de 28,15% ao ano e retorno em 15 meses. 

O recebimento foi confirmado após 10 dias da notícia de que um problema técnico relacionado à conta da juíza responsável pelo repasse havia atrasado o pagamento. De acordo com o Tribunal, o problema estava relacionado ao cartão digital utilizado para a transferência. 

“A estratégia de investimento em ativos judiciais, apesar de pouco conhecida do público em geral, é algo que temos acumulado uma profunda experiência e que possui riscos específicos, muitas vezes de difícil precificação. Portanto, repagar aos nossos investidores com uma rentabilidade de 28% ao ano, mais de 900% do CDI, especialmente em momentos em que todos os ativos sofreram uma queda drástica, até mesmo com perdas de até 70% do principal, é uma prova fática (dada pela realidade) de que estamos no caminho certo.”, disse o CFO. 

E para ajudar você a ter noção real de como funciona na prática o pagamento de precatório, gostaríamos de te apresentar três documentos: (i) mandado de levantamento; (ii) certidão de que o mandado de levantamento foi expedido; e (iiicompronvante de transferência. 

O processo para o recebimento funciona da seguinte formadepois que juíza responsável pelo caso ordena a emissão do Mandado de Levantamento Eletrônico (MLE abaixo), serventuário expede o MLE e emite a certidão (abaixo) e encaminhado ao banco. Em seguida, o valor é transferido, gerando o comprovante de transferência dos recursos (abaixo) 

Abaixo, você pode conferir todos os documentos citados, referentes a este pagamento. 

Realizando o repasse de uma operação neste momento tão delicado para a economia do país e do mundo, reafirmamos o compromisso da Hurst em oferecer oportunidades de investimento em Ativos Reais com baixíssima correlação com o mercado financeiro, sem volatilidade, e que continuam rentabilizando mesmo durante a crise.