Matéria do jornal online The National, fundado em 2008 no Oriente Médio, levanta as perspectivas do FMI para a retomada da economia global. Veja logo abaixo o resumo com tradução livre do texto “Financial markets’ disconnect from real economy may lead to corrections, IMF says”.

Desconexão dos mercados financeiros da economia real pode levar a correções

Apesar do declínio econômico global, as avaliações do mercado de ações implicam uma forte recuperação

Há uma “divergência impressionante” entre os mercados financeiros e a economia real, o que pode levar a uma maior volatilidade e correções mais acentuadas, disse o Fundo Monetário Internacional.

O S&P 500 recuperou a maior parte de suas perdas desde o início da crise, apesar do colapso econômico nos EUA e a previsão do Federal Reserve de uma queda de 6,5% no produto interno bruto este ano.

Gita Gopinath, economista-chefe do FMI, disse que os índices dos mercados emergentes da África melhoraram substancialmente. O índice de referência de ações do Brasil também aumentou significativamente, mesmo com o recente aumento nas taxas de infecção por Covid-19 no país.

Mercados Emergentes

O aumento dos spreads de dívida soberana e a depreciação das moedas de mercados emergentes também são menores do que o que foi experimentado durante a crise financeira global, com algumas exceções.

“Isso é notável, considerando a escala maior do choque nos mercados emergentes durante o “Grande Bloqueio”, disse Gopinath.

Os fluxos de portfólio para as economias emergentes e em desenvolvimento também se estabilizaram, apesar da agitação econômica nessas economias.

O vírus infectou cerca de 8,05 milhões de pessoas em todo o mundo e matou mais de 437.000, conforme resultado do acompanhamento feito pela Universidade Johns Hopkins, que está monitorando o surto.

Perspectivas dos números causados pelo coronavírus na economia

A pandemia forçou os governos a fechar fronteiras e todos os negócios, exceto os essenciais, para conter a propagação do vírus que paralisou a atividade econômica. Os países começaram a reabrir gradualmente suas economias, em conformidade com as diretrizes da Organização Mundial da Saúde.

No início deste mês, a OCDE disse que a produção global deverá contrair 7,6% este ano na ausência de uma vacina. Enquanto o desemprego em algumas das maiores economias do mundo pode chegar a 11%. Como resultado, o Banco Mundial espera que a produção global diminua em 5,2%.

  • Quer saber qual o processo para originar um ativo? Conheça nossa série clicando aqui.

À medida que mais economias reabrem, a taxa de infecção continua a aumentar em alguns mercados emergentes e países em desenvolvimento. A taxa de infecção em alguns estados dos EUA aumentou e a China, ou seja, a segunda maior economia do mundo está enfrentando um novo surto de Covid-19 em Pequim.

No entanto, apesar da segunda onda de infecções e uma possível piora da perspectiva econômica, os mercados acionários em geral se recuperaram nas últimas semanas, com o índice S&P500 subindo 37% do seu menor fechamento este ano em 23 de março.

Considerações finais

Certamente, o fator mais provável por trás dessa divergência é a resposta política mais forte à crise, disse Gopinath.

Em primeiro lugar, a política monetária tornou-se acomodatícia em geral. Uma vez que com apoio sem precedentes dos principais bancos centrais e flexibilização monetária em mercados emergentes, através do uso inicial de políticas não convencionais.

A pandemia também deu um “golpe excepcionalmente grande” ao setor global de serviços, atingindo-o com mais força do que a manufatura. Consequentemente, Gita expressa a mudança no cenário:

“Desta vez é diferente. Nos meses de pico do bloqueio, a contração nos serviços foi ainda maior do que na manufatura, sendo vista em economias de mercado emergentes da mesma forma ”.

Resumindo, é possível que, com a demanda do consumidor reprimida, consequentemente ocorra uma recuperação mais rápida, diferente das crises anteriores. No entanto, isso não é garantido em uma crise de saúde. Os consumidores podem mudar o comportamento dos gastos para minimizar a interação social, por exemplo.

Concluindo, temos um desafio significativo que será a produção e distribuição adequadas de vacinas e tratamentos quando elas estiverem disponíveis, o que exigirá um esforço global.

Para ler a matéria na íntegra acesse:

https://www.thenational.ae/business/economy/financial-markets-disconnect-from-real-economy-may-lead-to-corrections-imf-says-1.1034378