Matéria da Bloomberg fala sobre oportunidades que estão na mira de uma das maiores gestoras do mundo que está presente em mais de 100 países e que pretende investir mais de US$ 23 bilhões em ativos alternativos.

Veja a seguir o resumo com tradução livre do texto “BlackRock’s Alternatives Chief Has a $23 Billion War Chest”.

Mais um grande investimento em ativos alternativos

O CIO da unidade de investimentos alternativos da BlackRock destinou US$ 23 bilhões para empresas que foram abandonadas na pandemia.

A demanda por investimentos alternativos aumentou nos últimos anos. Isso porque os investidores estão mais dispostos em aceitar riscos mais altos e ter menos liquidez em troca de rendimentos mais expressivos.

O mercado de investimentos privados, um termo genérico que abrange empresas não listadas, empréstimos, imóveis e Hedge Funds, viu os ativos valorizarem 44% nos últimos cinco anos, atingindo cerca de US$ 18 trilhões no final de 2019, segundo o JPMorgan Chase & Co.

 

 

Considerações da BlackRock sobre este mercado

Globalmente, os gestores de ativos alternativos têm US$ 2,4 trilhões disponíveis para gastar, conforme base de dados do relatório Preqin. No entanto, para a BlackRock, levará um tempo para que os mercados retornem aos níveis pré-pandêmicos.

“O impacto econômico negativo é mais do que apenas o impacto das políticas agressivas do governo – trata-se do medo legítimo relacionado à saúde que continuará afetando o comportamento do consumidor e das empresas”, disse Jim Barry, CIO da gestora.

“As pessoas podem deixar suas casas para trabalhar, mas não necessariamente deixam suas casas para lazer.”

Entre as possíveis oportunidades de investimento, a BlackRock diz que está buscando fornecer empréstimos de curto prazo para empresas de alta qualidade que perderam financiamento bancário ou que precisam de uma ponte para gerenciar seus fluxos de caixa.

A gestora também está planejando comprar ativos de empresas de private equity que precisam levantar dinheiro rapidamente durante a crise, e que estão fazendo isso através de vendas forçadas, por exemplo.

“Os mercados secundários de private equity são uma das oportunidades mais interessante neste cenário”, escreveu Barry em um relatório de junho.

Há também uma chance da BlackRock poder comprar participações diretamente de empresas de private equity. Fundos de pensão, instituições e investidores com maior patrimônio que provavelmente precisarão vender algumas participações para reequilibrar suas posições após a desaceleração do mercado.

“Prevemos que ativos de qualidade estarão disponíveis a preços atrativos”, segundo Barry.

Para ler a matéria na íntegra, acesse:

https://www.bloombergquint.com/markets/blackrock-shops-for-assets-battered-in-pandemic-with-23-billion