A décima sétima carta de grandes gestores traz a entrevista realizada pela Natixis Investment Managers com 500 instituições do mercado financeiro para falar sobre a volatilidade do mercado que se tornou uma realidade nos portfólios dos investidores de modo geral.

Veja o resumo do relatório “The waiting game: Ten market trends institutional investors are watching for in 2020” logo abaixo.

 

A realidade dos portfólios atuais

As instituições veem a volatilidade como um resultado previsível para os mercados em 2020. No geral, 77% acreditam que as ações serão mais voláteis, enquanto 62% projetam maior volatilidade para os títulos. Mais da metade (52%) também projeta um aumento na volatilidade da moeda.

A política dos EUA tem grande influência nas opiniões sobre a volatilidade das ações. A volatilidade dos títulos é mais surpreendente, uma vez que as políticas atuais deixam pouco espaço para os bancos centrais manobrarem.

No ano passado, os investidores passaram de temores de alta das taxas para uma série de cortes, resultando em volatilidade. Mas com as taxas agora precificadas de maneira adequada, a preocupação pode ser que qualquer mudança repentina na política altere o equilíbrio.

Fatores como esses podem ser o motivo pelo qual as instituições classificam a volatilidade (53%) como seu principal risco de portfólio para 2020, mas as taxas de juros perenemente baixas (50%) ficam em segundo lugar. Os entrevistados também se preocupam com o impacto de uma crise de crédito (37%) e problemas de liquidez (35%), enquanto um em cada cinco está alerta para a deflação.

As 5 principais preocupações de risco do portfólio para o restante de 2020
Volatilidade 53%
Taxa de juros 50%
Crise de crédito 37%
Liquidez 35%
Deflação 20%

Como resultado, a gestão de risco é a prioridade das equipes institucionais e três quartos (74%) relatam que estão dispostos a apresentar desempenho inferior ao do mercado para garantir proteção contra perdas.

 

 

Mercados incertos exigem gestão ativa

Com o aumento da volatilidade, os portfólios são atingidos e cerca de metade das instituições (46%) acredita que a dispersão também aumentará. O aumento resultante no spread entre os preços dos títulos pode ser uma razão pela qual três quartos dos investidores institucionais dizem que os mercados vão favorecer a gestão ativa em 2020. Essa deve ser uma boa notícia para os 71% que acham mais difícil gerar alfa conforme os mercados se tornam mais eficientes.

As instituições vêm construindo carteiras de olho nesse cenário de mercado, aumentando as alocações para ativos nos últimos três anos. Eles procurarão manter sua divisão de 70% ativa a 30% passiva nos próximos três anos.

As instituições alertam os investidores individuais em suas suposições sobre o investimento passivo. Muitos acumularam investimentos passivos nos últimos anos, e 74% acham que os investidores individuais têm uma falsa sensação de segurança em relação aos fundos de índice.

As avaliações institucionais parecem certeiras. Nossa pesquisa com investidores de 2019 mostra que apenas 55% dos indivíduos reconhecem que os investimentos passivos custam menos, mas 62% os consideram menos arriscados. Mas as preocupações institucionais com a passividade vão muito além dos equívocos individuais.

As instituições veem riscos significativos em fluxos exagerados para investimentos passivos: 64% dizem que amplifica a volatilidade, 54% acham que mostra que o mercado está ignorando os fundamentos, enquanto 57% temem que o fenômeno tenha levado a uma concentração do controle acionário.

https://www.im.natixis.com/uk/research/institutional-investor-survey-2020-outlook