Na sexta carta de grandes gestores, a JP Morgan Asset Management, que possui mais de 150 anos de experiencia em investimentos e mais de US$ 264 bilhões sob gestão, fala sobre as tendências dos investimentos alternativos, mais especificamente no setor de infraestrutura.

Veja o resumo com tradução livre do “Outlook da infraestrutura”, logo abaixo.

Nos últimos cinco anos, os investidores institucionais investiram cada vez mais nos principais ativos de infraestrutura privada. O motivo para investir neste tipo de ativo alternativo foi para possuir proteção da inflação, maior diversificação e rendimento. e proteção da inflação.

Agora, eles estão se perguntando como as oportunidades podem ser mais bem aproveitadas e os riscos gerenciados de maneira mais efetiva.

De uma perspectiva de financiamento, a dívida de infraestrutura é um mercado cada vez mais maduro, no qual as instituições competem contra os bancos em busca de novas estruturas de financiamento.

Não vemos nenhuma perda nos termos da oferta de financiamento dos principais ativos – apesar das taxas básicas historicamente baixas e das incertezas cíclicas, regulatórias e políticas.

 

Desenvolvimento do investimento em dívida de infraestrutura

Como principal investidor em ações de infraestrutura, a JP Morgan Asset Management acredita que embora os retornos das ações tenham caído em uma base absoluta ao longo do tempo, permanecem bastante atraentes em relação às classes de ativos tradicionais, particularmente com base no risco ajustado.

Ainda é possível encontrar transações promissoras para ativos regulamentados nos mercados da OCDE, principalmente nos EUA e na Europa Ocidental.

 

Continuamos a ver os retornos ajustados ao risco nos investimentos principais de infraestrutura como atrativos. Mas, como temos escutado que “muito dinheiro está perseguindo poucas transações”, estamos vendo alguns investidores aumentarem sua tolerância ao risco, a fim de manter os retornos esperados. Dessa maneira, o retorno adicional não ocorre sem riscos adicionais.

Nos concentramos em ativos que possuam a capacidade de fornecer uma visibilidade clara do seu rendimento a longo prazo. Os verdadeiros ativos de infraestrutura podem oferecer baixa volatilidade, baixa correlação com a renda fixa, apresentando ainda fluxos de rendimentos confiáveis.

 

Benefícios ambientais e energias renováveis

Os benefícios ambientais das energias renováveis ​​estão aumentando a oferta e a demanda no setor, resultando na disponibilidade de contratos de longo prazo alinhados aos objetivos de investimento da classe de ativos de infraestrutura.

De fato, as energias renováveis ​​se tornaram um setor de infraestrutura convencional na última década. Vemos evidências dessa tendência nas dinâmicas de oferta e demanda.

As mudanças nas estratégias corporativas e nas preferências do consumidor estão impulsionando amplamente o consumo e o investimento sustentável.

 

Concluindo

O alinhamento dos fatores de demanda e suprimento de energia renovável provocou um forte aumento na necessidade de financiamento. Isso provavelmente levará a maiores alocações de dívida de infraestrutura para o setor de energias renováveis. E isso fará com que os investimentos no setor de infraestrutura aumentem.

 

Parar ler o texto na íntegra, acesse:

https://am.jpmorgan.com/lu/en/asset-management/institutional/insights/portfolio-insights/alternatives/global-alternatives-outlook/infrastructure/