Alguma vez você já se perguntou aonde será que andam algumas cédulas e/ou moedas mais antigas? A grande maioria da população nunca mais as verá. Acontece que existem pessoas que adquirem estas cédulas e moedas antigas com a intenção de colecionar e/ou investir.

Este tipo de investimento se chama “numismatica” e vem crescendo ao longo do tempo. Ele é caracterizado como mais um investimento alternativo e, justamente por isso, trouxemos a você mais conhecimento a cerca deste assunto através dos trechos mais importantes do artigo “O mundo dos colecionadores de moeda” elaborado pelo blog do “O Numismata”.

 

A importância do catálogo de moedas

Um catálogo de moedas permite que o colecionador/investidor saiba quais são as moedas em sua posse ou quais peças deseja adquirir.

Dessa forma, é possível saber também quais as moedas estão em curso legal e quais estão circulando, além de ter uma noção da precificação, levando em consideração moedas-tipo com desenhos e legendas similares.

Em suma, ao estudar o catálogo, que geralmente é atualizado todos os anos, é preciso definir o que você vai colecionar. Moedas europeias, brasileiras, norte-americanas, medalhas ou cédulas

A coleção brasileira acontece principalmente a partir das moedas do período colonial, império, república ou do Plano Real. Outro método usado é o material das peças, ou seja, é possível colecionar moedas de ouro ou moedas de bronze, e assim por diante.

Para trazer mais clareza, essas são as moedas dos períodos coloniais, império e república do nosso país:

  • Florins
  • Carimbos Coroados
  • Réis
  • Cruzeiro
  • Cruzado
  • Cruzado Novo
  • Cruzeiro
  • Cruzeiro Real

Montando a sua coleção

O que a maioria dos numismatas (nome dado aos colecionadores deste ramo) costuma fazer quanto às suas coleções é adquirir moedas em perfeito estado de conservação caso as peças sejam mais fáceis de serem encontradas. Já aquelas que são mais desgastadas também podem demonstrar a sua raridade de maneira geral.

Portanto, encontrar moedas com um bom grau de conservação é muito importante para qualquer colecionador. Não será possível encontrar moedas gastas, riscadas, furadas e nem cédulas sujas, rasgadas e amassadas nas coleções de grandes numismatas. 

 

 

Os precursores do mundo numismata

Em primeiro lugar, acredita-se que os primeiros colecionadores de moedas surgiram no Império Romano. Essa atividade era sustentada pelos imperadores e mantida por muitos anos, chegando a ser uma atividade na Idade Média e depois no período renascentista.

A numismática consolidou-se como uma atividade de colecionismo e de estudo, mostrando-se como uma ciência. Esta atividade ficou conhecida como “passatempo dos reis”, além disso, por ser mais comum entre os mais ricos por estes possuírem mais estudos e condições financeiras para começar e manter coleções.

Sendo o Imperador Dom Pedro II quem fomentou a atividade, uma vez que trazia peças de outros países sempre que viajava para o exterior. 

 

Os colecionadores mais famosos da história

O colecionismo de selos, cédulas e moedas raras vêm se fomentando desde Augusto César, considerado o primeiro colecionador de moedas que se tem notícia, passando por Papa Paulo ll que possuía inúmeras moedas de ouro e prata, Rei Luís XIV da França que tinha a numismática como hobby, Imperador Dom Pedro ll e Princesa Augusta Sofia do Reino Unido que iniciou sua coleção aos 12 anos com moedas inglesas e alemãs.

Nota do autor

Em tempos de volatilidade geral nos mercados, a diversificação mais do que nunca comprova a sua eficácia dentro dos portfólios dos mais diferentes investidores.

A numismática surgiu a partir de um ato de colecionismo e se transformou em investimento ao longo do tempo. Poucas pessoas levam este tipo de investimento em suas carteiras.

Ficando como mais uma opção de ativo alternativo descorrelacionado com o mercado financeiro. Se você possui dúvidas sobre os investimentos alternativos, entre em contato conosco através das mensagens deste artigo ou clique aqui para agendar um telefonema com nossos especialistas.

 

Para ler o texto compleo no blog do Numismata, acesse:

https://blog.onumismata.com/o-mundo-dos-colecionadores-de-moeda