O investimento no setor imobiliário tem se popularizado no Brasil com o passar dos anos: dados do Valor Investe mostram que, em 2019, os Fundos Imobiliários ocupavam a 5ª posição dentre os investimentos mais buscados pelo brasileiro. Entretanto, essa não é a única forma de investir no setor disponível atualmente. Hoje, vamos falar sobre o crowdfunding imobiliário. 

Para entender esse conceito, é preciso dar um passo atrás. 

Qual a relação entre crowdfunding e investimentos? 

O conceito de crowdfunding já tem sido bastante difundido e discutido no país: trata-se de um processo que se assemelha ao de uma ‘vaquinha’ – quando um grupo de pessoas se reúne para arrecadar fundos com um objetivo em mente. 

Nesse modelo, e com o surgimento das plataformas digitais nos últimos anos, é comum que seja oferecido ao colaborador uma recompensa em troca da ajuda financeira. 

Quando falamos sobre crowdfunding de investimento, as empresas utilizam a internet para captar recursos dos investidores, e emitem em troca contratos ou títulos que conferem a eles direito de crédito. 

A prática é regulada pela Comissão de Valores Mobiliarios (CVM), que regulamentou a atividade através da Instrução nº 588/17: 

“Captação de recursos por meio de oferta pública de distribuição de valores mobiliários dispensada de registro, realizada por emissores considerados sociedades empresárias de pequeno porte nos termos desta Instrução, e distribuída exclusivamente por meio de plataforma eletrônica de investimento participativo, sendo os destinatários da oferta uma pluralidade de investidores que fornecem financiamento nos limites previstos nesta Instrução.” 

Como funciona o crowdfunding imobiliário? 

Podemos dizer que o crowdfunding imobiliário diz respeito a um investimento coletivo com o objetivo de financiar um empreendimento imobiliário. 

Sendo assim, diversos investidores se reúnem com aportes menores para concluir um determinado valor de captação. Em troca, esses investidores receberão sua rentabilidade a partir do valor geral de vendas. Ou seja: a rentabilidade depende do sucesso do empreendimento. 

Esse jeito de investir aproxima investidores do varejo de oportunidades que, antes, eram restritas a grandes instituições financeiras ou investidores milionários.  

crowdfunding imobiliário permite que um investidor comum participe da captação de um empreendimento imobiliário aplicando um valor baixo se levarmos em consideração o montante total da obra. 

É uma forma simples de democratizar o acesso ao investimento no setor imobiliário. Com um aporte mínimo, o investidor tem a possibilidade de investir em grandes empreendimentos em localizações muito valorizadas. 

Além disso, existem no mercado opções em que o repasse dos rendimentos acontece mensalmente: é como se o investidor, de fato, estivesse recebendo a sua parte do aluguel de um determinado imóvel, tudo isso sem precisar desembolsar valores altíssimos para adquiri-lo. 

Como participar de uma operação de crowdfunding imobiliário? 

Tendo em mente seu objetivo de investimentoperfil de risco, e a posição atual do seu portfólio de investimento, o processo de investimento deve ser guiado pelos seguintes passos: 

  1. Certifique-se que a plataforma de crowdfunding imobiliário possua profissionais com larga experiência em investimentos no setorInvista sempre com especialistas que possuam histórico de entregas comprovada; 
  2.  Histórico da plataforma de crowdfunding no mercado. O número de ofertas realizadas e investidores são bons indicadores; 
  3. Entenda se a plataforma de crowdfunding imobiliário será investidora da operação. Importante que a plataforma também tenha o interesse alinhado ao seu, colocando dinheiro junto com você na oportunidade. 
  4. Escolha um projeto que o prazo, retorno e perfil de risco seja apropriado ao seu perfil de investimento; 
  5. Decida o valor apropriado a ser investido na oportunidade. Diversificação é o único almoço grátis disponível no mercado. Nunca concentre demais seus investimentos. 

Fique atento às redes sociais da Hurst: em breve, teremos novidades sobre a primeira operação de crowdfunding imobiliário que estruturamos.