Os títulos negociados no Tesouro Direto estão entre as aplicações financeiras favoritas dos investidores brasileiros. Os principais motivos para isso são a facilidade de aporte e a segurança que eles oferecem. Porém, outras oportunidades podem se destacar no mercado, como o investimento em precatórios.

No geral, essa alternativa pode se mostrar atraente pelas vantagens que oferece. Logo, vale a pena entender como essa possibilidade funciona para definir se ela é adequada para a sua estratégia e para o seu portfólio.

A seguir, descubra por que o investimento em precatórios poderá se transformar no novo Tesouro Direto!

O que são precatórios?

Para saber como esse movimento pode se concretizar, é essencial compreender o que são os precatórios. Eles correspondem a um título judicial que obriga o poder público a realizar o pagamento de uma ação transitada em julgado.

Para entender melhor, imagine que uma pessoa processa o Governo do Estado e solicita o pagamento de um determinado valor. Após a sentença e o esgotamento dos recursos judiciais, essa pessoa tem ganho de causa.

Logo, ela passa a ter um precatório judicial, que obriga o Estado a pagar o valor nas condições da sentença. Como o poder público não pode mais recorrer, há a exigência de pagamento. Assim, os precatórios acabam servindo como direitos sobre uma dívida pendente.

Como o investimento em precatórios funciona?

Depois de saber o que são os precatórios, vale conhecer como funciona o investimento neles. Para tanto, você deve entender que a obrigação de pagamento não significa que o valor será quitado de maneira imediata.

Assim, podem ocorrer adiamentos quanto ao pagamento dos precatórios, que não têm prazo definido. Em geral, isso está relacionado à proposta orçamentária do poder público, que precisa contemplar essa cobrança de dívida.

Como consequência, é comum que os titulares de precatórios vendam esses direitos em troca de um adiantamento de parte do valor de face do título. Assim, é frequente que as pessoas renunciem a uma porcentagem do que receberiam para que não seja necessário esperar o pagamento pelo agente público.

A empresa que compra os precatórios, por sua vez, pode lucrar com a correção dos títulos pela taxa Selic e pela diferença entre o preço pago pelo precatório e o quanto ele, efetivamente, vale. Além disso, ela pode oferecer essa obrigação de pagamento em forma de investimento aos investidores interessados.

A partir desse ponto, a empresa de ativos reais pode aguardar o pagamento por parte do poder público ou realizar um acordo. Se o valor recebido for maior que o total pago pela compra, a operação é lucrativa para os envolvidos. Graças a essa dinâmica, os precatórios se tornaram alternativas de investimento atrativas.

Ao observar as características que conheceu até aqui, você pode notar que o investimento em precatórios não se assemelha a uma alternativa de renda fixa tradicional. Porém, o poder público não pode se negar a pagar o título — então existe mais segurança do que ao investir em ativos que estejam sujeitos aos riscos de mercado.

Por que os precatórios podem se tornar o novo Tesouro Direto?

Até aqui, você entendeu como funciona o investimento em precatórios. Agora é hora de compreender por que essa alternativa pode ficar mais popular entre os investidores. Devido às suas características, esse tipo de investimento pode até se equiparar às alternativas disponíveis no Tesouro Direto.

A criação dessa plataforma ocorreu em 2002, com o intuito de permitir o acesso de pessoas físicas ao investimento em títulos públicos. Assim, essas aplicações de renda fixa são emitidas pelo Tesouro Nacional e pagas pelo Governo Federal.

Já os precatórios vêm de uma ação judicial e podem ser referentes ao Governo Federal, Estadual ou Municipal. Apesar das diferenças entre essas oportunidades, também existem semelhanças que podem favorecer o crescimento dos precatórios em relação ao Tesouro Direto.

Um dos pontos para considerar é o aumento da acessibilidade a essa alternativa. Da mesma forma que o investimento em títulos públicos se tornou mais fácil com o tempo, isso tem acontecido com os precatórios. Na Hurst Capital, por exemplo, você pode contar com uma estrutura completa para realizar as alocações sem burocracias.

Além disso, os precatórios oferecem a possibilidade de obter pagamentos acima da média da renda fixa. Como o retorno envolve o deságio e a correção de juros, há a chance de conquistar ganhos maiores que aqueles obtidos com os títulos públicos.

Por outro lado, a segurança entre os investimentos tem semelhanças importantes, já que ambos envolvem o poder público. Assim, é possível diminuir o risco de crédito — o que pode favorecer o investimento nos precatórios.

Ainda, os precatórios ajudam na diversificação da carteira, pois oferecem uma oportunidade com maior potencial de ganhos na comparação com a renda fixa. Desse modo, esse tipo de investimento pode ganhar mais atenção dos investidores e do mercado com o tempo.

Como investir em precatórios?

Agora que você sabe quais são as características gerais do investimento em precatórios, é o momento de descobrir como realizar esse tipo de alocação. Antes de executar a operação, entretanto, é preciso avaliar seu perfil de investidor.

Essa classificação serve para indicar qual é o seu nível de tolerância ao risco e às variações do mercado. Como todo investimento envolve algum nível de risco, é essencial garantir que essa escolha faça sentido para você.

Também é necessário avaliar seus objetivos financeiros. No geral, as operações com precatórios são de médio e longo prazo. Então é indispensável que os seus objetivos estejam alinhados a essa característica.

O próximo passo consiste em escolher uma empresa de ativos reais confiável. Com a Hurst Capital, você conta com a maior plataforma do tipo na América Latina, que oferece diversas operações relacionadas a precatórios.

Para investir, você deve criar sua conta gratuita e conferir a lâmina das operações. No processo de escolha, vale a pena considerar questões como:

  • nível de risco;
  • prazo;
  • taxa interna de retorno;
  • tipo de precatório.

Assim que decidir em quais precatórios deseja investir, basta realizar o aporte para incluí-los em sua carteira de investimentos.

Neste artigo, você viu como funciona o investimento em precatórios e como eles podem se destacar perante os títulos públicos do Tesouro Direto. Por isso, convém analisar a alternativa conforme as suas características como investidor, de modo a tomar decisões conscientes e estratégicas sobre a sua carteira e o seu patrimônio.

Quer conhecer as opções de investimento em precatórios? Veja quais são as oportunidades disponíveis que temos na Hurst Capital!