A 18° Carta de Grandes Gestores traz a atualização do mês de setembro da Gestora Global BlackRock, fala sobre a recuperação dos mercados pós crise do coronavírus, que se recuperaram fortemente de suas baixas impulsionados pela revolução política e reinício econômico.

Leia as principais considerações realizadas pela BlackRock logo abaixo.

Avaliações mais apertadas aumentam o risco de maior volatilidade do mercado, especialmente antes das eleições nos Estados Unidos. Nesse contexto, permanecemos moderadamente pró-risco em uma base tática, com preferência pelo crédito.

O reinício da atividade foi ampliado. No entanto, ele está se movendo em velocidades diferentes entre os países, impulsionado pelas diferenças em lidar com a dinâmica dos vírus.

A menor incidência de novas mortes explica, em parte, a resposta relativamente modesta do mercado a um novo aumento nas infecções. O cronograma para uma vacina surpreendeu positivamente após esforços acelerados em todo o mundo. No entanto, a imunização não é uma panacéia para a economia e uma recuperação aos níveis anteriores à Covid levará tempo.

 

 

Reflexos políticos e fiscais

Uma resposta de política monetária-fiscal conjunta sem precedentes está fornecendo uma ponte para fluxos de receita interrompidos. A fadiga do estímulo fiscal está se tornando um risco – especialmente nos EUA – mesmo com a Europa aumentando seu apoio fiscal.

A nova estrutura de política monetária do Fed deve ter implicações significativas para os resultados da inflação, uma vez que permite superações da inflação e não se preocupa com o superaquecimento dos mercados de trabalho.

Combinado com mudanças estruturais aceleradas pela Covid-19, como a desglobalização, vemos um regime de inflação mais alta no médio prazo.

A saúde pública e as crises econômicas estão exacerbando formas arraigadas de desigualdade entre níveis de renda, etnia e países. Muitos mercados emergentes (EMs) estão enfrentando desafios de saúde, política e desglobalização.

A pandemia expôs vulnerabilidades das cadeias de abastecimento globais e acrescentou ímpeto à fragmentação geopolítica. Isso levou a uma revolução política que confunde as fronteiras entre a ação fiscal e monetária – o que poderia resolver algumas das crescentes desigualdades. E tem valorizado a sustentabilidade, responsabilidade corporativa e resiliência de empresas, setores e países.

 

 

Recuperação dos mercados

O sentimento de recuperação dos mercados foi impulsionado pela evolução de curto prazo da pandemia e pela resposta política, mas esses limites estruturais estão transformando o cenário de investimento e serão significativos para os resultados do investimento. Em outras palavras, o futuro é agora.

Na BlackRock, estamos nos concentrando em criar resiliência real para todo o portfólio. Isso vai além do uso de resiliência financeira para construir uma melhor combinação de retornos – trata-se de garantir que o portfólio esteja bem posicionado em um nível mais granular para os temas subjacentes, incluindo sustentabilidade.

A ação mais importante que os investidores precisam realizar hoje, em nossa opinião, é revisar sua alocação estratégica de ativos para garantir que as carteiras sejam resilientes às tendências sobrecarregadas.

Enfatizamos três chamadas estratégicas.

  • Em primeiro lugar, a revolução de política combinada com o risco de choques de oferta, aumenta o potencial para uma inflação mais alta no médio prazo e desafia o papel dos títulos do governo nominais como lastro em um horizonte estratégico.
  • Em segundo lugar, a pandemia acelerou uma mudança tectônica em direção à sustentabilidade.
  • E, em terceiro, a desglobalização e a fragmentação exigem um foco na resiliência real: diversificação entre empresas, setores e países que estão bem posicionados para essas tendências.

Leia o relatório completo acessando: