As criptomoedas têm se destacado no mercado financeiro e chamam a atenção principalmente pelo potencial de rentabilidade. Ademais, há muita tecnologia por trás desses ativos digitais. Você sabe, por exemplo, como funciona o registro dos criptoativos na blockchain?

Essa inovação também se destaca em outras áreas, inclusive nas transações financeiras. Desse modo, conhecer esse mecanismo ajuda a entender como ele pode proteger a validação de dados e como funcionam os investimentos em ativos digitais.

Neste artigo, você saberá o que é e como funciona o registro de informações na blockchain. Continue a leitura e confira!

O que é a tecnologia blockchain?

Blockchain é um termo cuja tradução livre pode ser “corrente de blocos”. A expressão se refere à forma como os conjuntos de dados são criptografados e registrados na rede.

Embora seja um conceito que ganhou destaque nos últimos anos, a tecnologia surgiu em 2008, junto com a moeda digital bitcoin. Nesse ano, ocorreu a crise dos subprimes, uma situação internacional que envolveu a quebra do banco de investimentos norte-americano Lehman Brothers.

Foi nesse momento econômico que a tecnologia blockchain despontou com o bitcoin. O objetivo dos seus criadores era permitir a validação de informações sem ser necessária a aprovação de intermediários.

Dessa forma, as pessoas poderiam transferir dinheiro sem o intermédio de uma instituição financeira, por exemplo. Assim, a inovação focava na independência em relação a instituições e Governos.

Apesar desse direcionamento financeiro inicial, a blockchain tem sido usada em diversos setores que exigem um registro mais seguro dos dados.

Como funciona o registro dos ativos na blockchain?

Após aprender o que é blockchain, é interessante entender como ocorre o registro das informações nessa rede. Como os blocos não pertencem a nenhuma instituição, o registro e a validação dos dados são realizados por uma rede de computadores conectados em todo o mundo.

Em geral, esse processo funciona por meio da mineração. Nela, diversos usuários disponibilizam sua capacidade computacional para registrar e validar as informações. Isso porque o processo envolve máquinas capazes de resolver cálculos matemáticos com alto nível de complexidade.

Na prática, as operações são reunidas em blocos, que geram um hash. Esse elemento funciona como uma impressão digital que identifica o bloco e o torna único. A cada transação, gera-se um novo hash.

Ele é incluído no final do bloco já formado, que mantém as informações já registradas nos blocos anteriores. Essa etapa depende de voluntários para ocorrer, que são os mineradores. Eles são recompensados com as moedas digitais mineradas.

Quais são os pilares da blockchain?

Além de saber o que é e como funciona a tecnologia blockchain, é importante entender quais são os seus pilares. Afinal, são eles que garantem os diferenciais dessa inovação tecnológica e fazem com que ela seja utilizada em diferentes setores do mercado.

Confira quais são os destaques!

Descentralização

Como você viu, a descentralização é um dos principais pilares da blockchain. Ela é possível porque os próprios usuários são responsáveis pela validação da rede. Logo, não é necessário contar com uma instituição responsável por monitorar e autorizar os processos.

Isso garante mais flexibilidade e permite a troca de arquivos, informações e moedas digitais entre usuários de qualquer lugar do mundo. Ademais, o funcionamento é ininterrupto e as transações ocorrem de modo eficiente.

Transparência

As redes blockchain permitem fazer auditoria em tempo real das transações. Essa atividade é bastante simples, sem custos e pode ser executada tanto pelos usuários quanto por terceiros.

No último caso, a auditoria pode ser realizada com o auxílio de exploradores de blocos disponíveis na internet. Dessa forma, é possível garantir transparência, livre acesso e segurança para os usuários e processos.

Imutabilidade

O terceiro pilar da blockchain é a imutabilidade. Isso ocorre porque, a partir do momento em que a transação é incluída no bloco, não há como retroceder e mudar os dados. Essa característica é uma das principais vantagens dessa tecnologia.

Além disso, quanto maior for o número de hashes em uma transação, mais difícil será para alguém quebrar a cadeia de blocos para reverter ou apagar a operação. Afinal, se qualquer mudança fosse feita, seria necessário realizar uma nova operação, fazendo a validação de todos os pontos.

E, mesmo nesse caso, o processo causaria erro na hash gerada, impedindo o seu registro. Logo, a rede é virtualmente inviolável porque não seria viável concluir quaisquer fraudes.

Qual é a importância da blockchain?

Até aqui, você entendeu o que é, como funciona e quais são os pilares da blockchain. Agora, vale conhecer a importância dessa tecnologia, tanto para as criptomoedas quanto para o mercado de forma geral.

A seguir, conheça as principais vantagens da blockchain!

Segurança

Devido às características dessa tecnologia, segurança e confiança estão entre os principais benefícios que ela oferece. Além de as transações serem registradas em um arquivo público, você aprendeu que é praticamente impossível fraudar a rede blockchain.

Esse é um dos principais motivos para o aumento de popularidade dessa inovação no mercado, já que é possível contar com mais segurança sobre os dados registrados.

Privacidade

Outra vantagem da blockchain é que informações sensíveis, como os dados pessoais, ficam ocultas. Assim, quem usa a blockchain pode contar com privacidade e segurança, pois os dados públicos são apenas o valor, data e hora da transação.

Então a transparência está ligada ao fato de que qualquer usuário pode verificar as informações gerais das transações. Contudo, não é possível identificar quem enviou ou recebeu o montante, por exemplo.

Ausência de burocracia

Com a blockchain, é possível transferir criptomoedas ou outros ativos digitais de forma rápida, eficiente e descomplicada. Dessa maneira, é possível trazer mais dinamismo para as operações, independentemente dos pontos de saída ou do destino dos recursos.

Maior controle

Utilizar a tecnologia blockchain é uma forma de ter mais controle sobre as suas transações. Afinal, as criptomoedas não dependem da existência de um banco, enquanto os contratos digitais e registros não estão atrelados a uma entidade certificadora.

Portanto, é possível ter mais autonomia sobre a realização dos processos. Também há como dispor de controle sobre o uso e movimentação dos criptoativos.

Elevada aplicabilidade

Existem diversos serviços e produtos que precisam de registro e validação e podem utilizar a blockchain. Veja alguns exemplos:

  • identificação digital;
  • transferência de imóveis e títulos;
  • artes digitais;
  • documentos;
  • jogos e aplicativos.

Agora você sabe como funciona o registro dos ativos digitais na blockchain. Dessa forma, você tem mais embasamento para criar estratégias e aproveitar as oportunidades que essa inovação pode oferecer.

Quer explorar a possibilidade de ter investimentos alternativos na carteira? Então conte com a Hurst Capital!